Dj Kisa

Conheci a Dj kisa assim que cheguei em Barcelona, em meados de 2016. Ela é da Bélgica, mas mora aqui em Barcelona há uns bons anos.

Depois de fazer vários trabalhos com ela, surgiu a idéia de fazermos algumas fotos para ela usar em seu marketing digital em 2018.

Pra ver todo o ensaio é só dar um click na foto abaixo:

Dj Kisa

Tem também alguns trabalhos de vídeos que fizemos juntos:



Anúncios

Ricardo Santos – Remix 2018

Fiquei muito feliz quando Ricardo Santos me procurou para dirigir e editar um remix com suas imagens preferidas feitas no Brasil, EUA e Espanha.

Ricardo é conhecido por seu carisma e manobras muito precisas e senti a necessidade de fazer algumas imagens complementares para deixar isso claro no vídeo.

Fizemos as algumas imagens aqui em Barcelona/ES por fim gostamos do resultado final.

E você, o que achou?

Demo Reel 2017

Pra quem não sabe o que é um Demo Reel, é um resumão dos melhores trabalhos feitos por um profissional e/ou uma empresa. Esse conteúdo é super importante para mostrar o que tu sabe fazer para novos clientes e também em entrevistas de emprego.
Depois de muitos anos sem organizar meus trabalhos resolvi editar meu primeiro portifólio que foi o EUROPE 2016 com todos os trabalhos de 2016 aqui na Europa e agora apresento pra vocês o meu “resumo” de 2017.

Depressão

É, acontece.. já li por aí que a depressão é o mal do século.
Não sei exatamente quando começou, acho que foi em meados de 2014 lá em São Paulo. Eu trabalhava como nunca havia trabalhado, todo dia era um stress diferente, foi a fase que mais ganhei dinheiro, mas também foi a fase em que mais fumei, bebia todos os dias, arrumava confusão por aí e me alimentava mal, consegui chegar aos 110Kg.
Realmente eu não estava bem, mas naquela época não conseguia enxergar isso, pra mim a tal da vivência é o que valia. Tinha poucos momentos comigo mesmo me perguntando o que eu realmente queria, tava meio que no modo automático da vida.
Achava que o problema era o trabalho, então saí..
Achava que o problema era São Paulo, então saí..
Aí em Barcelona me vi com a mesma rotina de antes, me alimentando mal, com o pouco dinheiro que tinha fumava muito e bebia sempre que podia. Isso tudo estava tão extremo que comecei afastar as pessoas que eu gostava de mim, queria me esconder do resto do mundo e quando estava com meus amigos eu era aquele amigo bêbado chato. Minha autoestima estava abaixo de zero e tudo isso parecia um caminhão descendo sem freio na ladeira da deprê (haha).
Não adiantava ninguém me falar nada, EU é que tinha que escolher mudar. Não sabia quando, mas sabia que isso tudo era uma fase triste e logo conseguiria vencer meus pensamentos e hábitos negativos.
Comecei e me autoanalisar, perceber o que não me fazia bem e sem saber como, querer mudar tudo isso:
Primeiro resolvi parar de fumar, afinal gastava um dinheirão com cigarros e tabacos que me deixavam fedidão, sem fôlego pra nada e tava acabando com a minha pele. Não foi fácil mas sigo na luta diária a mais de um ano sem fumar ❤
Depois queria mudar minha alimentação, afinal já fui quase nove anos vegetariano, voltei a comer carne sabe-se lá porque e estava na hora de voltar a viver minhas escolhas éticas e não mais por impulsos. (Depois vai ter post falando um pouquinho sobre essa mudança)
PAREI DE BEBER ÁLCOOL!
E essa mudança não foi fácil.. porque tava ali né, Barcelona, várias festas, reuniões com amigos.. Você não precisa sair de onde está pra tomar sua cervejinha (como com cigarro). Sempre nos dias seguintes a alguma festa meus amigos diziam “Nossa Naan, tu lembra o que tu fez ontem? “.. E eu não me lembrava. E por não me lembrar não dava importância.
Até que um amigo gravou tudo, desde que cheguei em uma festa até a hora que fui embora. Foi triste, lembro que voltei pra casa e não queria mais sair, chorei pra caramba de vergonha.. Porém, já que não conseguimos mudar as merdas que fizemos, vamos pelo menos tentar não repetir o erro..
Parei de beber, já faz uns bons meses e me sinto MUITO BEM.. Continuo indo a algumas festas e reuniões com amigos, só que agora não incomodo mais ninguém e me lembro de tudo 🙂
Bom, blz.. Parei de fumar, beber e tava tentando melhorar a alimentação.
Mas e a tal da auto estima? Como uma pessoa que nunca teve saco pra essas coisas lidaria com isso?

Isso realmente tava influenciando e muito na  “deprê”.
Eu não me amava e com isso achava impossível alguém gostar de mim também. Preferia ficar em casa do que ver meus amigos, saia pra andar de skate sozinho, quando encontrava com meus amigos evitava conversar muito, marcava rolê pelo “Tindão” com algumas garotas e não aparecia, tava osso..
Eu tinha certeza que essa falta de auto estima estava totalmente ligada ao meu sobrepeso, eu estava pesando 98 kg (Fev/2017) e não estava contente com o que via no espelho.
Eis que um amigo me apresentou o TRX, um equipamento muito legal que é baratinho e você pode fazer exercícios de fortalecimento em quase todo seu corpo. Fiz algumas vezes os exercícios com ele e resolvi comprar pra ter em casa e fazer diariamente, isso me ajudou muito, eu que mal saía de casa, agora estava começando a me mexer. Depois de algumas semanas fazendo trx resolvi começar a correr, não sabia como, nem onde ia fazer, mas queria começar.. No começo eu parecia um pato velho afobado, tinha como meta atingir os 2km correndo e não conseguia nem a metade. NÃO DESISTI! Em poucas semanas estava correndo 8km a cada dois dias e decidido a mudar de vida.
Sempre que a preguiça batia eu lembrava de como não queria ser/estar e ia pro trx e corria no final do dia.
Em momentos de ansiedade mordia pedacinhos de gengibre e tomava muita água, porque sabia que era aí que eu possivelmente fumaria um cigarro ou comeria qualquer coisa.  Pouco a pouco estou mudando cada coisinha que eu não gosto em mim e com isso os resultados estão chegando. Hoje me sinto super vitorioso pelo fato de não precisar mais fumar, beber álcool, consumir nada de origem animal pra me sentir bem. Tento fazer exercícios quase todo dia e manter meus pensamentos sempre positivos.

Acho que no final era isso que me faltava, entender o que eu estava fazendo comigo e descobrir como gostaria de estar. Foi aí que decidí sair de Barcelona por um tempo e fazer o que sempre sonhei.. me jogar no mundão (tem post sobre isso) com pouco dinheiro mas com muita vontade de viver, novos hábitos e agradecendo a cada dia por consegui vencer essa fase tão chata que foi a depressão.

Hoje?
Eu estou feliz e você?

Worldpackers Experience #1

Bom, finalmente cheguei ao post que eu queria aqui no blog.
Há tres meses eu comecei minha jornada com o Worldpackers aqui na Espanha, resolvi deixar Barcelona para trás e decidi conhecer a Espanha além de pontos turísticos e festas para conhecer pessoas locais e poder ajudar em alguma forma com eles.
Resolvi começar a gravar essa experiencia para mostrar pra voces e esse é o primeiro episódio..
(Está em inglês, mas tem legenda prontinha em português ali pra vocês)

Fiquei um mês em Colmenar, uma cidade próxima à Málaga. No anúncio do site worldpackers já dizia que era uma fazenda vegana no meio de uma montanha e pensei que seria perfeito pra começar essa aventura, afinal queria me tornar vegano a algum tempo e também me desconectar um pouco do caos da sociedade em que eu estava em Barcelona.
A fazenda é linda, tudo muito simples e satisfatório.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Acomodação
Optei por quarto privado sem saber o que viria pela frente e quando cheguei lá gostei muito, super espaçoso e organizado.
O resto da casa segue no mesmo estilo do quarto, simples e organizado.
Uma curiosidade foram os banheiros, que eram separados para urinar e cagar, pois o Daniel (anfitrião) reutiliza inclusive a urina e fezes para a plantação.

Anfitrião
A principio o Daniel foi uma pessoa super fechada, mas nada que impedisse o bom relacionamento na fazenda.
Com o passar do tempo ele foi “adquirindo confiança” e começou a me explicar mais sobre a sua história e a da fazenda.
Acho que ele é uma das pessoas mais “punk” que eu conheço.. haha. Totalmente averso à nova tecnologia e costumes e também segue de forma restrita o veganismo. Também é cheio de bagagem sobre arte, viagens e fotografia.. Uma ótima pessoa pra sentar com um bom chá e conversar por horas.

Trabalho
Fiz um pouco de tudo na fazenda.. Desde ajudar regando a plantação até cortar grande parte do mato que havia lá. No geral foram trabalhos relativamente fáceis, porém tem que gostar de gastar energia e fazer força, caso contrário em alguns momentos pode parecer um pouco pesado.
Trabalhava 5 horas por dia e 5 dias por semana, sendo que dividimos 3 horas pela manhã e as outras duas no final da tarde por conta do calor intenso que fazia lá.
O Daniel respeitou muito bem a carga horária e em nenhum dia me pediu para trabalhar horas a mais.

Dias de descanso
Eu tinha dois dias de descanso por semana e resolvi combina-los com os dias que o Daniel ia para uma cidadezinha próxima, assim aproveitava para me conectar a internet (na montanha não tem Wifi e tampouco chega sinal de dados no celular) e aproveitar pra conhecer as cidades próximas e também fazer compras em mercados de produtos organicos locais.

Alimentação
Pessoalmente, pra mim foi o início de uma descoberta de um universo novo e lindo. Conversamos bastante sobre o veganismo, o Daniel me emprestou um livro para eu poder me interar mais sobre o assunto e tudo foi fluindo naturalmente.
Na fazenda é totalmente proibida a entrada de carnes e produtos derivados de animais, mas pra mim isso não foi um problema, pois eu já era vegetariano e só faltava um “start” pra iniciar no veganismo.
Depois que o Daniel descobriu que eu gosto de cozinhar me deixou “pilotar” a cozinha quase todos os dias, enquanto ele me ensinava como fazer queijos e outras receitas veganas eu seguia criando e adaptando algumas receitas vegetarianas, agora no veganismo.
Foi muito divertido e saboroso.
#GOVEGAN

Ponto negativo:
Como tudo na vida, sempre teremos algumas coisas que não nos agradam ou não conseguimos nos adaptar:
Falta de internet – Para nós que estamos conectados quase 24 horas por dia é realmente um susto ficar 5 dias da semana sem internet. Claro que é totalmente possível, mas se você é assim como eu, que dependo da internet para falar com clientes e receber e entregar trabalhos, as vezes pode ser um problema.

No geral foi uma experiência incrível, sigo conversando com o Daniel toda semana sobre novidades da fazenda e de minhas viagens. Ele me convidou para voltar pra lá e acredito que em breve as “montanhas de Colmenar” vão voltar pro meu roteiro.

Bom, essa foi só a primeira experiência com Worldpackers, espero que vocês tenham gostado e em breve publico mais material sobre minhas próximas estadias.
Vamos incentivar esse tipo de viagem, de forma mais humana e com troca de experiências.
COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS E VÁ PRA ESTRADA TAMBÉM!

Não esqueça que você pode me seguir em minhas redes sociais para não perder os próximos posts 🙂
Instagram|Facebook|Youtube

Obrigado pela leitura e até o próximo.

 

 

Works

Decidi abrir espaço por aqui para falar um pouco sobre meus trabalhos, afinal eu sou um profissional audiovisual e tento reconciliar meus freelances com minhas viagens.
Está funcionando, os clientes estão se dando bem com a minha dinâmica de trabalho e também estou me adaptando bem com horários e prazos.

Entre essas viagens, um dos trabalhos que fiz foi com a Brizen Studio.
A Brizen é um estúdio audiovisual do meu amigo Aron Marcel, que mora em Barcelona.. Eles são uma mídia especializada em skate e fazem um trabalho super legal na cidade, mostrando um pouco da cena local e também das pessoas que vão lá todos os anos andar de skate.
Eles precisavam de uma “nova cara”, uma nova identidade na abertura de seus vídeos que eles publicam semanalmente no site. Falei com Aron, entendi o que ele queria e começou o processo de estudo e padrão de linguagem.
Depois de tudo aprovado, comecei a fazer as animações. Utilizei algumas imagens que ele tinha em seus arquivos e pude dirigir algumas cenas novas.
A
Brizen Studio gostou e eu também, o resultado está abaixo:

 

 

Como parar (parei) de fumar?

Não sei por qual motivo comecei a fumar, fumei por quase dez anos, mas sei porque parei.
Pouco a pouco ele estava me matando.. (mesmo sendo clichê, todo fumante sabe disso)
Eu sabia que ia parar, só não sabia quando e esse era o problema, deixar pra depois.. Só mais um cigarrinho, sabe?
Nessa de só mais um cigarrinho os anos foram passando, tive crises de tosse (alguns casos até com desmaio), crises de excesso de catarro, espinhas monstruosas em toda a cara, mas o cigarrinho estava lá, companheirão do dia a dia.
Eu realmente não conseguia parar porque não me via sem fumar.. Em todos momentos da minha vida eu me imaginava com o cigarro, seja trabalhando, horas vagas, festas, com amigos, sozinho..

Ok, me mudei para a Europa e o preço do cigarro também mudou, um maço são 5 euros (+- 20 reais) e tem também os tabacos de enrolar, que são mais baratos, mas eu como um bom fumante ansioso que era não tinha saco pra ficar enrolando cigarrinhos toda vez que quisesse fumar e com isso dei uma pequena reduzida.
Mas eu não queria reduzir, queria parar!
Entre morar aqui e ali em Barcelona, acabei morando com um amigo que não fuma e percebi que ele ficava realmente incomodado com a fumaça (não que isso não tivesse acontecido antes, mas foi nessa situação que rolou o start) e comecei a imaginar como seria a casa se eu não fumasse, sem incomodar meu amigo, sem cheiro de tabaco. Depois comecei a me imaginar em outras situações sem fumar, na rua, nas festas, no trabalho.. e foi aí que coloquei na minha cabeça: “Assim que acabar essa lata de tabaco vou parar de fumar!”.

48431448Uma lata de tabaco durava em média de 2 a 3 dias, mas toda vez que preparava um cigarro sabia que quando a lata acabasse eu não fumaria mais. E era aí que batia o desespero, fumava devagar pra durar mais, pensava três vezes antes de fumar porque não queria que a lata acabasse.
(Eu sei que é meio idiota isso, eu sabia que se quisesse era só comprar outra lata de tabaco.. Mas na minha cabeça era um desafio pessoal, não havia a possibilidade de comprar mais.. Podia fumar como quisesse aquela quantia, mas quando acabasse, teria realmente acabado).
Os dias foram passando e pra minha surpresa a lata de tabaco durou uns 5 dias (pensa no desespero), mas acabou. No dia 21 de novembro de 2016 as 23:30 fumei meu último cigarro. Meio nóia isso de contar data e hora mas isso me ajuda até hoje, é o meu troféu pessoal.
No começo é difícil, cheguei a sonhar que estava fumando e se eu disser que não sinto mais vontade de fumar estarei mentindo, todo dia em algum momento eu lembro dele.. Mas o que me motiva é saber que no final do dia de hoje eu consegui não fumar. Lembra aquele lance de não conseguir se imaginar sem cigarro? Pois é, agora faço exercícios de pensamentos para não me imaginar mais fumando e está funcionando.

Eu sei que é uma luta diária, mas estou conseguindo.
Minhas dicas são:

  • Seja chato com você mesmo, seja persistente com o que quer, se imagine sem fumar e como você estaria se não fumasse..
  • Na maioria dos casos os fumantes são extremamente ansiosos, quando decidir parar de fumar, nos momentos de “desespero” pelo cigarro tome um copo de água. Eu faço isso até hoje, da uma acalmada na ansiedade e ainda faz super bem pro corpo.
  • Tente não substituir o cigarro por comida ou doces, o resultado disso vocês já sabem.
  • Eu criei o hábito de sempre ter comigo alguns pedacinhos de gengibre, assim quando estou naquele momento ou lugar que possivelmente iria fumar, pego um pedaço de gengibre pra morder. Além de ter vários benefícios para o corpo te deixa com um hálito agradável.
  • Um app que me ajudou muito no começo foi o Kwitt, lá você coloca o dia e a hora que parou de fumar, quanto custa seu cigarro e ele começa a contar e disparar notificações no celular com mensagens positivas e benefícios em parar de fumar.

Esse é meu status hoje no app:

unnamed

Acredito que nosso corpo é o nosso santuário e também reflexo de nossa mente.

Cuide-se.